Mulheres vão poder conduzir motos na Arábia Saudita

Mulheres vão poder conduzir motos na Arábia Saudita

Decisão histórica do rei Salman entrará em vigor a partir de Junho de 2018.

Quando em Setembro passado o rei Salman anunciou, de forma surpreendente, que iria dar início a um conjunto de reformas progressistas na Arábia Saudita, um país extremamente conservador e com leis bastante repressivas para com as mulheres, revelou que iria, precisamente, dar às mulheres sauditas maior liberdade.
Uma destas medidas e que maior impacto tem na liberdade das mulheres, foi a de permitir que pudessem conduzir sem estar acompanhadas por um homem. Em 2013 os líderes sauditas já tinham deixado que as mulheres conduzissem motos, mas apenas em locais específicos, com o corpo totalmente coberto pelas vestes Islâmicas e sempre acompanhadas por um homem da família.


O Departamento de Tráfego saudita, ao abrigo das novas ideias reformistas, teve de analisar a melhor forma de poder aplicar o que o rei Salman estipulou no decreto real, e ao fim de três meses esta instância finalmente clarificou que as mulheres não só vão poder conduzir automóveis, como também terão a possibilidade de conduzir motos e camiões, desde que tenham no mínimo 18 ou 20 anos de idade, respectivamente.


De acordo com as declarações do Diretor Geral do Departamento de Tráfego da Arábia Saudita, divulgadas pela Saudi Press Agency, a partir de Junho de 2018 as mulheres vão poder conduzir motos sem qualquer problema, não serão obrigadas a utilizar nas suas motos qualquer identificação especial, como seja uma matrícula, que as diferencie dos homens, e as regras do código da estrada saudita serão aplicadas de forma igual, seja para homens como para mulheres.
O governo saudita deixou bem claro que não serão tolerados quaisquer actos de discriminação para com as mulheres que conduzam, no entanto serão criados “centros especiais” para lidar com mulheres que cometam alguma violação das regras de condução, ou que estejam envolvidas em acidentes. Esses centros especiais serão dirigidos apenas por mulheres.
A Arábia Saudita era o único país no mundo a impedir que as mulheres pudessem conduzir, e isso era visto como um símbolo da repressão naquele país do Golfo Pérsico. Sob as novas reformas impostas pelo rei Salman, as mulheres não só vão poder conduzir sozinhas, como também poderão ir ao cinema ou a estádios para assistir a eventos desportivos, entre outras atividades.

Envie seu comentário