Casal deixa seus empregos e partem para uma aventura épica em 2 rodas

Casal deixa seus empregos e partem para uma aventura épica em 2 rodas

viagem épica

Percebendo que o momento era esse, Lukasz e Marta abandonaram seus empregos, pegaram a moto BMW F800GS e partiram em uma aventura a 2 pelo mundo. Depois de completar um passeio de 38,000 milhas de Ushuaia, Argentina para Prudhoe Bay, no Alasca, o casal está no estágio final de preparação para sua próxima aventura, um passeio pela África. Para comemorar a jornada das Américas, eles fizeram um vídeo que ja passou de 400 mil visualizações!

Vindo de Wroclaw, Polônia, Lukasz conheceu Marta alguns anos atrás, apresentado por um amigo mútuo. Unidos por seu amor pelo motociclismo e pela paixão pelas viagens, eles começaram a explorar a Europa em duas rodas. “Quanto mais viajavamos sobre 2 rodas, mais queríamos ir mais longe. No verão de 2016, partimos para uma aventura na Ásia Central, fazendo 9.500 milhas em apenas 23 dias. Foi difícil e voltamos exaustos, mas nos fez perceber que poderíamos ver o mundo inteiro em uma motocicleta “, diz Lukasz.
Embora suas aventuras na Ásia Central tenham inspirado Marta e Lukasz para começar a pensar em uma viagem mundial, o empurrão final veio de uma fonte improvável, um jogo de cartas de rascunho. Depois de uma viagem turística ao Vietnã, o casal comprou mapa mundi. Apenas por diversão, uma noite eles decidiram descobrir o quanto do mundo que tinham visto até agora e marcavam no mapa os países que eles visitaram. “Nós pensamos que havíamos viajado bastante, mas os rabiscos no mapa revelou que nós só vimos 5% do planeta! Nós dois ficamos em silêncio por um momento … Logo depois, começamos a planejar nossa viagem ao redor do mundo pela motocicleta “, explica Marta.
viagem épica

Escolhendo uma BMW F800GS como sua motocicleta, Lukasz e Marta partiram em sua primeira grande aventura de Ushuaia para o Alasca em dezembro do ano passado. Abrangendo o Sul, a América Central e a América do Norte em oito meses, o casal admite que cometeu muitos erros de principiantes no início. Emocionados sobre a aventura em um continente que eles não tinham visitado antes, Marta diz que por um tempo, eles esqueceram completamente todas as regras que haviam estabelecido em casa.

Quando estabeleceram um ritmo, o casal descobriu que as viagens os tornaram mais fortes juntos. No final da viagem, diz Marta, eles estavam funcionando como um relógio suíço: simplesmente não havia tempo para argumentos – viver na estrada exigia concentração máxima e trabalho em equipe. “Francamente, fiquei espantado com o quão bem nós nos complementamos”.
viagem épica

viagem épica

Então, quem é o pilar?
Marta e Lukasz trabalharam como equipe, não apenas fora da motocicleta, mas também: ao contrário da maioria dos casais, os aventureiros poloneses trocaram suas posições. Às vezes, Lukasz andaria com Marta como piloto, e outras vezes, ele é quem guiava. Ver um homem como um passageiro de ainda é uma visão incomum, mas as viagens ajudaram a entender melhor as necessidades um do outro.

Lukasz andava de moto desde criança, mas nunca como passageiro. Foi um sentimento muito novo para ele, ele admite, mas ele realmente descobriu que ele gostava muito de estar no banco de trás e experimentar o mundo de uma maneira diferente, relaxando ou filmando o planeta. “Isso também me fez um namorado melhor, eu acho! Por exemplo, eu finalmente entendi as queixas de Marta sobre o frio enquanto eu me sentia bem, o garupa fica mais alto, então eles são os primeiros a esfriar! “
viagem épica

Marta acrescenta que a decisão deles de seguir em uma motocicleta,foi em grande parte devido às finanças, uma moto simplesmente significava menos despesas. O casal está financiando sua aventura mundial com suas poupanças e rendas vindas de algumas vendas, eles venderam a Kawasaki ER6F da Marta e a sportbike de Lukasz, adiaram a compra de um carro novo e tentaram esticar seu orçamento o máximo que pudessem ao acampar e preparar suas próprias refeições. “Nós partimos nesta jornada, mas ninguém acreditava que pudéssemos fazê-lo. Agora que provamos que somos capazes, algumas empresas ofereceram seu apoio, o que é excelente, mas ainda estamos financiando nossas próprias viagens “, diz Marta.
O casal disse que sua maior surpresa na estrada eram as pessoas, no início, eles se sentiram um pouco tímidos sobre se comunicar ou pedir ajuda, mas rapidamente, as inibições simplesmente se foram. Em todo lugar, eles eram amigáveis ​​e ansiosos para ajudar, mesmo quando havia uma barreira de idioma, nem Lukasz nem Marta falavam espanhol. Ambos admitem que, no início de sua viagem, eles temiam aparecer vulneráveis ​​e queriam se retratar como perfeitamente capazes e controlados – mas com o tempo, eles perceberam que simplesmente não era a abordagem certa.

De acordo com Marta, todos os dias na estrada era uma surpresa. Na América do Sul, ficaram maravilhados com a diversidade de países e paisagens – desde o Chile e a Argentina cpom visual mais moderno e estilo de vida mais caro, até a Bolívia e Perú um lugar mais indígena, mais rustico, as montanhas dos Andes, a selva amazônica e o deserto de Atacama foram os três maiores contrastes que os deixaram admirados. O casal admite que muitas pessoas advertiram sobre a falta de segurança na América Central e a atmosfera realmente era diferente da América do Sul, mas eles não tiveram nenhum problema. O México os conquistou imediatamente, as pessoas, as cores e a comida eram simplesmente incríveis, e os Estados Unidos impressionaram o casal com seus fantásticos parques nacionais.

viagem épica

Na África

Agora, na Polônia, o casal está se preparando para sua próxima aventura, uma viagem pela África. Ambos admitem que estão um pouco desconfortáveis ​​em se aventurar no Sul: a situação política em muitos países africanos é extremamente instável e o casal tem algumas preocupações quanto à segurança. Por outro lado, eles agora se sentem muito mais experientes e preparados – a jornada das Américas mudou sua perspectiva sobre motociclismo, aventura e o mundo. Eles agora pensam muito mais positivamente, sempre tentam olhar a imagem maior e suas necessidades agora são muito mais simples. “Nós não precisamos muito, e a vida é muito curta para se concentrar em pequenos problemas! Estamos com fome de mais aventura e estamos prontos para ir “, diz Marta.

Acabando seus preparativos na Polônia – separando os documentos e planejando sua rota – o casal diz que sua missão é inspirar outras pessoas a entrar na estrada.

“Não somos extraordinários ou únicos – somos pessoas normais e simples. Então, se fizemos isso, certamente, qualquer um pode! Tudo o que você precisa é a verdadeira paixão pela aventura – o resto vai cair no lugar à medida que você acompanha.

Envie seu comentário